Porto Sul?

Não temos nada contra um polo exportador de minério de ferro no litoral da Bahia. O que não se pode admitir em pleno século 21 é que para beneficiar uma única empresa asiática (a Bamin) esse complexo destrua um dos mais preciosos patrimônios ecológicos brasileiros, a Área de Proteção Ambiental da Lagoa Encantada. E nem que rompa o equilíbrio social e econômico de toda a região para que os chineses tenham minério de ferro mais barato.





sexta-feira, 30 de abril de 2010

PSOL também está contra o Porto Sul

O Tripé da Insustentabilidade: Lula, Wagner & Newton
"Para atender os interesses econômicos da empresa BAMIN um verdadeiro MASSACRE ECOLÓGICO está em curso em Ilhéus. Pretende-se dizimar, inicialmente, mais de 1.800 hectares de Mata Atlântica, Áreas de Proteção Ambiental, corredores ecológicos, Parque Municipal, Parque Estadual, numa área que tem a maior biodiversidade por metro quadrado do planeta. Isso tudo pode desaparecer de vez, pelo descompromisso desse tripé de governos que aterrorizam o sul da Bahia, com seus projetos megolomaníacos que só agregam destruição à cidade de Ilhéus".

Este é só o primeiro paragrafo do panfleto espalhado a partir de hoje em toda a Bahia pelo Partido Socialismo e Liberdade, o PSOL. Para ler o documento completo, clique aqui.

Depoimento: Rui Rocha

Rui Rocha, presidente da organização Floresta Viva, explica porque é contra o projeto Porto Sul:

ENRC ignora o Brasil

 
A Eurasian, ou ENRC, empresa do Cazaquistão, representa metade do capital da Bahia Mineração. (A outra metade pertence à indiana Zamin). A ENRC acabou de lançar seu relatório anual para os acionistas, onde comenta seus passos estratégicos para 2010. Sua análise mostra que de seus principais clientes, a Rússia, está comprando menos minério de ferro. E afirma que neste ano a queda da procura por parte da Russia deve ser compensada por um foco maior no mercado consumidor chinês. É para onde deverá ser levado o minério de ferro que eles pretendem exportar destruindo a Ponta da Tulha. Em todo o relatório não há uma única menção ao Brasil ou à operação planejada para o litoral sul da Bahia. Toda a atenção é dedicada aos consumidores, Russia, China e o próprio Cazaquistão. Nós somos apenas fornecedores anônimos de matéria prima. LEIA O RELATÓRIO COMPLETO (EM INGLÊS) NESTE LINK

Blog do Gusmão: MPF afirma que nunca foi membro da comissão

No dia 14 de abril, alguns veículos de imprensa divulgaram que os procuradores do ministério público federal foram omissos, por não terem participado da comissão estadual de acompanhamento da avaliação ambiental estratégica do programa multimodal de transporte e desenvolvimento minero-industrial da região cacaueira, criada pelo governo da Bahia em 2008. A procuradora Flávia Arruti Galvão enviou a este blog, um documento onde é possível comprovar que a informação não é verdadeira, pois o MPF não é citado como membro integrante da comissão, tampouco, convidado permanente.
LEIA MAIS

quinta-feira, 29 de abril de 2010

PT: quem te viu, quem te vê...

O deputado federal Geraldo Simões, vice-líder do PT no Congresso Nacional fez um pronunciamento hoje de apoio ao projeto Porto Sul, sem citar que sua construção vai devastar a Ponta da Tulha e ameaçar diretamente a Área de Proteção Ambiental da Lagoa Encantada. Seu discurso segue a linha tecnocrata de misturar projetos diferentes, e afirma que "o Porto Sul poderá atender o escoamento da produção agrícola e mineral do oeste baiano". O que não é verdade. O Porto Sul é um projeto destinado 100 por cento ao uso da Bahia Mineiração (empresa asiática) para exportação de minério de ferro para a China. 
E o discurso tem uma grande ironia histórica: o deputado Geraldo Simões citou como único apoio ao projeto Porto Sul o Fórum Empresarial da Bahia. O deputado do Partido dos Trabalhadores só pode contar com empresários para sustentar seu discurso pró-devastação.

Nosso canal no YouTube

Inauguramos nosso novo canal no YouTube com dois depoimentos: Socorro Mendonça (presidente da Ação Ilhéus) e Mario Mantovani (presidente da SOS Mata Atlântica). Endereço: http://www.youtube.com/user/LagoaEncantadaBA

Depoimento: Mario Mantovani

Quem apóia a devastação?

No dia 6 de abril de 2010 o Forum Empresarial da Bahia reunido em Salvador lançou sua "Moção 01/2010" em apoio à construção do Porto Sul. Repetiram a argumentação oficial - sem qualquer contestação - e ofereceram "o apoio dos empresários da Bahia aos projetos Porto Sul e Terminal de Uso Privativo da Bahia Mineração - TUP". O manifesto ficou escondido até agora, quando o movimento contra o Porto Sul começou a se tornar nacional. Aí o manifesto pró-Bamin apareceu tímido, envergonhado, divulgado de forma genérica e vaga.

Este blog revela quais são as associações empresariais que assinaram o manifesto pelo projeto Porto Sul, que vai destruir a Ponta da Tulha e ameaçar de morte a Lagoa Encantada. A lista está atualizada com a adesão ao Porto Sul da Força Sindical Bahia. "Capital e trabalho" unidos em prol da devastação do Sul da Bahia. Clique aqui para conhecer quem está apoiando o projeto Porto Sul sem se importar com a destruição que ele vai trazer.

Festa na Lagoa: as fotos de Cid Póvoas

A festa em defesa da Lagoa Encantada no domingo, 25 de abril, rendeu belas imagens. O fotógrafo Cid Póvoas registrou o evento em muitos detalhes. Veja as fotos aqui.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Cada vez mais adesões ao Manifesto contra o Porto Sul

A lista de adesões ao manifesto contra a instalação do Porto Sul cresceu muito. Agora são 92 entidades nacionais e internacionais que não querem ver a Ponta da Tulha destruída e a Lagoa Encantada ameaçada para beneficiar indianos, cazaquistaneses e chineses. Você pode ler o manifesto e saber quem o apóia clicando aqui. Se você quiser aderir, leia o manifesto e mande seu nome prá cá!

Porto Sul Já +!

Aí vem o Zoo Bamin

O Brasil inteiro viu no Fantástico do dia 25 de abril de 2010 a declaração do presidente da Bahia Mineiração (Bamin), Clóvis Torres: 

"Você tem condições de criar uma área como um zoológico na região que você receba com veterinário para cuidar desses animais e depois liberar na natureza, como você pode também na Mata Atlântica criar viveiros para replantio em áreas que hoje já não tem a Mata Atlântica."

Este blog tem a honra de apresentar aos seus leitores a nova série Zoo Bamin. Você vai conhecer os animais ameaçados de extinção que vivem na Área de Proteção Ambiental Lagoa Encantada. E que serão, segundo o presidente da empresa, encaminhado para um "zoológico" assim que seu habitat natural for derrubado pelas serras elétricas a serviço da Bamin. Eles destróem a natureza e recolhem os animais para depois "liberar na natureza".  Não parece lógico?

Em breve você vai conhecer os animais do Zoo Bamin.
(Agradecimentos a Socorro Mendonça e Gabriel Picca)

Manifesto suspeito

Só agora, 20 dias depois de assinado, foi divulgado o Manifesto do Forum Empresarial que "resolve manifestar ao governo da Bahia e ao IBAMA o apoio dos empresários da Bahia aos Projetos Porto Sul e Terminal de Uso Privativo da Bahia Mineiração - TUP". Ele repete as justificativas ja conhecidas do projeto. E diz confiar no "criterioso estudo técnico de localização (...) relativos à conservação do meio ambiente".

É muito estranho que associações empresariais tão poderosas se mobilizem para proteger um projeto bilionário que vai beneficiar - como eles próprio reconhecem - uma única empresa, a Bahia Mineiração (BAMIN). E o que eles não dizem é que o projeto pretende arrasar a região protegida por lei da Ponta da Tulha. E ameaça diretamente o santuário ambiental da Lagoa Encantada.

Quer saber quem assinou esse manifesto? Nós vamos contar aqui.

Depoimento: Socorro Mendonça

video

terça-feira, 27 de abril de 2010

26/04/2010 - 05h04
Protesto contra porto e ferrovia
em área de preservação de Ilhéus




Cerca de 400 pessoas fizeram neste domingo, 25 de abril, um abraço simbólico à Lagoa Encantada, um dos principais pontos turísticos de Ilhéus. A lagoa, que tem sete vezes o tamanho da Lagoa Rodrigo de Freitas (RJ), pode ser um dos pontos atingidos pelo Complexo Intermodal Porto Sul, que prevê a construção de uma ferrovia e um porto de minério de ferro no Sul da Bahia. Mais de 30 ONGs, como SOS Mata Atlântica, Greenpeace, Floresta Viva, Projeto Tamar, Ação Ilhéus se mobilizaram e entregam nessa semana um Manifesto contra o complexo ao Governo.
(Envolverde/Plurale)

Tribuna da Bahia: empresários pela devastação

Fórum sai em defesa do Porto Sul
Publicada: 27/04/2010 00:31
Alessandra Nascimento

Após uma mega manifestação de grupos ambientalistas contrários a instalação do Porto Sul, na Ponta da Tulha, em Ilhéus, o Fórum Empresarial da Bahia lançou uma moção de apoio a instalação do novo Porto. Segundo dados do governo do estado, o Porto Sul será construído numa área de 1.771 hectares, no sentido Ilhéus-Itacaré. O empreendimento envolve recursos de R$ 4 bilhões e nasce com a intenção de reforçar a dinâmica local de produtividade e eficiência, agilizando o escoamento de produtos como minério, grãos e cargas conteinerizadas.

Ação Ilhéus: abraço encantado


por Marcos Pennha
Ação Ilhéus

Aconteceu em clima festivo o abraço à bela Lagoa Encantada em Ilhéus, no domingo último, 25 de abril. O evento, que teve a cobertura dos maiores meios de comunicação do Brasil – merecendo inclusive matéria na revista eletrônica dominical da Globo, Fantástico, contou com a participação de moradores do local, Serra Grande, Vila Juerana, Itacaré e gente dos mais diversos cantos e recantos. No dia anterior (24), houve mesa redonda com técnicos, ambientalistas, representantes de Organizações não Governamentais (ONGs) locais, empresários de turismo, pescadores e membros de segmentos diversos no hotel La Dolce Vita, localizado na estrada para Olivença.

 LEIA MAIS, VEJA AS FOTOS

Festa na Lagoa: mais fotos

Lagoa Encantada Festa 25 abril 2010

Estado de São Paulo noticia a festa de domingo

Ilhéus faz manifestação contra construção de porto privado

Coalizão de ONGs e movimentos locais rechaçam projeto que pode comprometer área da Mata Atlântica

 Afra Balazina - O Estado de S.Paulo

Cerca de 300 pessoas abraçaram ontem simbolicamente a Lagoa Encantada, em Ilhéus, em um ato contra a construção de um porto privado da empresa Bahia Mineração (Bamin). A região onde há a intenção de criar o empreendimento é uma Área de Proteção Ambiental. O porto será usado para escoar minério de ferro.
No evento, que reuniu moradores, donos de hotéis e integrantes de ONGs como SOS Mata Atlântica, Floresta Viva, Ação Ilhéus e WWF, também foi apresentado um manifesto. O documento será enviado ao governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), e ao Ministério do Meio Ambiente.Os manifestantes temem os danos ao ambiente que o porto pode causar. O projeto prevê o desmate de uma área de Mata Atlântica preservada equivalente a meio Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Também acreditam que o turismo será impactado, pois o grande atrativo, as belezas naturais, será comprometido. A Lagoa Encantada é tombada pelo município e a região, reconhecida pela Unesco como parte da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.
"Temos medo de que o armazenamento do ferro não seja adequado e o pó venha com o vento, contaminando a lagoa e os peixes. Daí ficaremos sem trabalho", afirma Jailson Costa dos Santos, dono de um restaurante nas margens da lagoa e que pesca no local o almoço dos clientes.

Empresários baianos "apóiam o Porto Sul"?

O Jornal Feira Hoje anunciou na sua edição de 26 de abril:

"Empresários baianos, reunidos no Fórum Empresarial da Bahia, encaminharam ao Governo do Estado e ao IBAMA documento em que manifestam apoio à instalação do Complexo Porto Sul, em Ilhéus. Para eles, ligados a 20 diferentes associações de classe, o complexo vai promover a reestruturação e o desenvolvimento, de forma sustentada, da Região Sul do estado". LEIA MAIS

A matéria do Feira Hoje não diz quais são essas associações de classe nem que empresários teriam assinado esse manifesto.  O texto "jornalístico" divulga a argumentação da empresa Bamin para implantar o projeto Porto Sul sem falar em impacto ambiental nem ouvir quem é contra ele.

A matéria do Fantástico

Aqui você encontra a matéria do Fantástico de 25 de abril de 2010 falando sobre o projeto Porto Sul e o perigo ambiental e econômico que representa para o sul da Bahia. Esta foi a primeira vez que o presidente da empresa Bahia Mineiração falou em resolver o problema dos animais em extinção na área ameaçada com um "zoológico". Leia e assista aqui.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Próxima parada: Brasília


Direto da fonte

24 de abril de 2010 | 0h 00
Sonia Racy - O Estado de S.Paulo
Izabella Teixeira, nova ministra do Meio Ambiente, tem um teste sério semana que vem. Uma coalizão de ONGs liderada por SOS Mata Atlântica e Greenpeace lhe entrega, na segunda, manifesto contra a construção do terminal de Porto Sul, na Bahia.

domingo, 25 de abril de 2010

Festa na Lagoa: primeiras imagens

Domingo, dia de festa solidária na Lagoa Encantada. 
O recado foi alto e claro: 
é possivel desenvolver a região muito melhor
sem devastar a natureza.

Existe dinheiro que compense a destruição do seu futuro?

Dezenas de pessoas se uniram num grande abraço à lagoa. 

Entidades locais, 
nacionais e internacionais compareceram 
e leram um manifesto contra o projeto que
beneficia uma única empresa asiática. 

A magia da festa teve esta assinatura: 
um arco-íris na Ponta da Tulha. 

É fantástica!

Hoje, domingo, dia 25 tem festão na Lagoa Encantada. Mais gente vai ver a Lagoa de perto. E perceber o absurdo que significa ameaçar um lugar desses com um complexo siderúrgico. E tem mais: à noite, cenas da festa e da Lagoa estarão no programa Fantástico, da rede Globo. Aí o país inteiro vai poder conhecer essa jóia ainda preservada. E lutar para que ela não se transforme num esgoto morto - como aconteceu com tantas outras lagoas que já não encantam mais ninguém.

sábado, 24 de abril de 2010

37 entidades já assinaram o manifesto pela Lagoa Encantada

37 entidades nacionais e internacionais já assinaram o Manifesto em Defesa da Lagoa Encantada, sul da Bahia. A Lagoa é um dos mais bem preservados pontos da Mata Atlântica em todo o litoral brasileiro. Está ameaçada pela instalação de um complexo exportador de minério de ferro na vizinha Ponta da Tulha. Você pode ler o manifesto e saber quem o assinou clicando aqui

"Não se trata de questão meramente local. É mundial"

Do blog de Érik Maia:

O trajeto entre as baianas cidades Ilhéus e Itacaré é a área que abriga a maior biodiversidade do planeta. É a estrada parque, onde dispõe dos últimos remanescentes de mata atlântica do nordeste brasileiro. (...) Temos vasta mata atlântica, mangues, rios, praias, mares, cachoeiras, lagos, lagoas, etc. Quem, de qualquer parte do mundo, não deseja conhecer os encantos, causos e contos da mágica Lagoa Encantada? Quem não quer deliciar-se com as iguarias diversas das cozinhas nacionais, internacionais e, em especial, baianas, como o guaiamu da Vila de Juerana? Tudo isso é gerador de emprego e renda.
LEIA MAIS

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Por que "Avatar na Bahia"?

A essa altura não é preciso contar para (quase) ninguém o enredo do filme Avatar, escrito e dirigido pelo canadense James Cameron. O filme fala de um planeta orgânico chamado Pandora, habitado por selvagens que vivem em profunda harmonia com a natureza. Mas a árvore vital desse povo guarda reservas de um mineral cobiçado pelos terráqueos. Uma força militar a serviço de uma empresa exploradora vai até Pandora, ataca seus habitantes e derruba a gigantesca árvore. Os nativos dão o troco.

Avatar se passa no futuro, mas fala de uma maneira ultrapassada de se tratar a natureza, com cobiça, brutalidade e desrespeito. É o que está para acontecer com o projeto Porto Sul - a invasão brutal de um santuário ecológico (a área da Lagoa Encantada e da Ponta da Tulha, ao norte de Ilhéus) por um complexo industrial pesadíssimo. Isso tudo para que uma única empresa asiática possa exportar minério de ferro barato para a China.

Nossa mensagem: que o minério de ferro da Bamin seja exportado. Mas por outro caminho muito mais lógico, o porto de Aratu, em Salvador. A devastação da Mata Atlântica já foi tão extensa que sobraram poucos pontos isolados de preservação. A Lagoa Encantada e a Ponta da Tulha formam um desses raros pontos preservados. É a "Pandora" do Sul da Bahia.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

A quem interessa o Porto Sul?

O projeto do Porto Sul está sendo realizado para beneficiar uma única empresa: a BAMIN, ou Bahia Mineiração. O governo federal e o estadual da Bahia pretendem construir uma ferrovia de 6 bilhões de dólares para possibilitar à BAMIN exportar minério de ferro para a China. E de quem é a BAMIN? 50 por cento do seu capital pertence à Zamin Ferrous, uma empresa da India. Os outros 50% são da ENRC, ou Eurasian Natural Resources Corporation, que tem sua sede no Cazaquistão. Os brasileiros entram com a mão de obra (pequena) e podem arriscar um santuário ambiental para facilitar uma operação basicamente asiática.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

"O Governo da Bahia não tem condições de controlar o surgimento de favelas"

 
de comunidade de Ilhéus 
Bruno Rios
reportagem  
PortoGente

“Ilhéus é cheia de morros com casas penduradas e o Governo da Bahia não tem condições de controlar o surgimento de favelas. É isso que nos preocupa com essa história toda de Porto Sul”. O desabafo é do líder comunitário da Vila Juerana, Paulo Emílio Nascimento, que conversou com o PortoGente em nome da comunidade, de pouco mais de 600 moradores. A Vila Juerana deve ser uma das mais afetadas com a construção do Porto Sul. Nascimento tenta, junto com outras organizações não governamentais, barrar o projeto.
 
LEIA MAIS

Documento: o pedido da suspensão

Aqui você vai encontrar a íntegra do parecer da Procuradoria da República em Ilhéus pedindo a suspensão da implantação do terminal da Ponta da Tulha. O longo documento detalha as razões do por que o projeto é um perigo para preciosas reservas ecológicas e conclui: "falta ao empreendimento o interesse público necessário para justificar a supressão da mata atlântica". (Agradecimento: blog Porto Gente).

Porto Gente: "um problema sem tamanho na Bahia"


Ministério Público Federal questiona Terminal Portuário da Ponta do Tulha
Texto atualizado em 20 de Abril de 2010 - 01h14 
A instalação do polêmico Porto Sul se tornou um problema sem tamanho na Bahia. Prova disso é que o Ministério Público Federal (MPF) colocou-se contrário ao projeto do Terminal Portuário da Ponta do Tulha, um dos pilares que compõem o Porto Sul. No último dia 15, uma audiência pública foi realizada para discutir o tema, durou mais de 9 horas e acirrou de vez os ânimos entre defensores e opositores ao projeto que envolve a instalação de um porto público, um aeroporto internacional e o Terminal Portuário da Ponta do Tulha, porto particular da empresa Bahia Mineração (Bamin).



LEIA MAIS





terça-feira, 20 de abril de 2010

A questão dos corais

Os corais são considerados os melhores indicadores da saúde ambiental dos oceanos. A ordem aceita universalmente é: "se existem corais, não mexa com eles". A Austrália sabe disse e recentemente colocou na cadeia o capitão de um barco chinês que fez uma barbeiragem na famosa Grande Barreira de Recifes no nordeste do país. Pois bem. Existem corais na costa em frente à Ponta da Tulha, onde a BAMIN pretende implantar o Porto Sul. Como são esses corais? Onde eles estão? A verdade é que ninguém sabe exatamente. Pesquisas estão sendo realizadas sem resultados conclusivos ainda. No mapa acima você vê a localização dos corais que existem mais para o sul, e que inclui o famoso complexo de Abrolhos. Conclusão: é preciso conhecer melhor a região da Ponta da Tulha antes de arriscar sua integridade por causa de uma única empresa de capital asiático.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

ESP: Construção de porto privado divide Ilhéus

Construção de porto privado divide Ilhéus

19 de abril de 2010 | 10h 45
Afra Balazina e Andrea Vialli - O Estado de S. Paulo

A construção de um porto privado em uma área de Mata Atlântica divide Ilhéus, na Bahia. Cercada de polêmica, a primeira audiência pública sobre o empreendimento Ponta da Tulha, da Bahia Mineração (Bamin), durou cerca de dez horas, reuniu aproximadamente mil pessoas e terminou às 4h30 de ontem.
A audiência pública foi a primeira etapa do processo de licenciamento ambiental do empreendimento. A próxima é a análise dos documentos, que será feita pelo Ibama.

O Ministério Público Federal (MPF) – que já havia tentado suspender a audiência por meio de um pedido de liminar – recomendou ao Ibama que não conceda a licença prévia para a obra. A Bamin quer escoar minério de ferro de uma mina no município de Caetité por meio do porto.A Procuradoria da República considera que a implantação do porto naquele local fere a Lei da Mata Atlântica, que permite desmatamento de áreas com alta conservação somente quando há utilidade pública ou social, e mesmo assim com ressalvas. “Para permitir a obra será preciso alterar a lei”, afirma o procurador Eduardo El Hage.
LEIA MAIS

Greenpeace corrige Folha de São Paulo

Licitação de portos começa por BA e AM
por Humberto Medina
Folha de São Paulo
18 abril 2010
O governo decidiu começar o processo de licitação de portos públicos pelos Estados da Bahia e do Amazonas. O plano é licitar dois portos na Bahia: um novo, que será construído por investidores privados próximo ao porto de Ilhéus (chamado Porto Sul), e outro já existente, o de Aratu, na Bahia de Todos os Santos, que será privatizado. (...) O Porto Sul, que será construído e operado pela iniciativa privada próximo ao porto de Ilhéus (BA), servirá principalmente para escoar a produção de soja do oeste da Bahia e do Tocantins e minério de ferro. Para que seja viável, precisa da ferrovia Oeste-Leste, que ainda será construída.

Prezado Editor:

Conforme matéria publicada na edição da Folha de São Paulo desse sábado (17 de abril de 2010), no suplemento Dinheiro, Licitação de portos começa por BA e AM, que inclui a abertura da licitação do Porto Sul na Bahia. Informo que o IBAMA ainda não concedeu a licença prévia para a licitação do referido porto privado da Bahia Mineração e ainda não foram iniciadas as audiências para o porto público.

Na audiência sobre o licenciamento realizada na última quinta-feira (15 de abril 2010) em Ilhéus, ficou evidente que não foram realizados estudos sobre os impactos da construção do terminal da Bahia Mineração nos peixes, corais e na fauna marinha da região. A construção do porto irá prejudicar a comunidade pesqueira e o turismo na região.

Leandra Gonçalves
Coordenadora da Campanha de Oceanos
Greenpeace - Brasil

domingo, 18 de abril de 2010

O Porto Sul no Jornal da Globo

Edição do dia 16/04/2010
 

Greenpeace: "O atracadouro da devastação"


Ilhéus (BA) – A audiência pública sobre o licenciamento do Terminal da Bahia Mineração (Bamin), parte de um complexo de transporte que envolve ferrovia e atracadouros conhecido como Porto Sul, começou atrasada por causa das fortes chuvas que caíam sobre Sul da Bahia. O aguaceiro, no entanto, não afastou a audiência. Quando os trabalhos foram abertos, o auditório estava lotado. O encontro durou quase 12 horas e nele houve de tudo. Claque da empresa formada por gente que nem sabia porque estava lá, depoimentos emocionados de pescadores que serão afetados pelo projeto e discursos inflamados.

sábado, 17 de abril de 2010

"Apoio popular": o retrato de uma farsa

Audiência pública teve lanche, ônibus e camiseta pró-porto
por Andrea Vialli e Afra Balazina
O Estado de São Paulo 17 abril 2010

Cerca de mil pessoas compareceram à audiência pública em Ilhéus, Bahia, para tratar do licenciamento ambiental do projeto do porto Ponta da Tulha.A empresa responsável pelo empreendimento, a Bahia Mineração (Bamin), e prefeituras do entorno fretaram oito ônibus para dar quórum à audiência. Aproveitaram para distribuir lanches e também camisetas para os convidados, Eles funcionaram como “macacos de auditório”, soltando vaias ou aplausos, dependendo do que era falado. As camisetas tinham a inscrição “Porto Sul Já” – um slogan que vir ou trocadilho e argumento pronto para os contrários ao empreendimento.
“Porto ‘sulja’. Se eles vão sujar, quem vai limpar?”, provoca Socorro Mendonça, presidente da Ação Ilhéus, organização local contrária ao empreendimento. Segundo ela, o esquema armado pela Bamin e pelas prefeituras só garantiu casa cheia até as 23 horas de anteontem. O transporte contratado tinha hora para voltar, e a audiência pública varou a madrugada. “A empresa fez uma propaganda pesada. Há dois anos a Bamin vem fazendo marketing nas comunidades para convencer a população a apoiar o porto”, diz Socorro.
Para Clóvis Torres, vice-presidente da Bamin, tudo é parte da natureza de uma audiência pública para discutirumempreendimento desse porte. “Quem arca com os custos de uma audiência pública é o empreendedor, e isso inclui infraestrutura e transporte para os participantes”, resume.

O procurador da República Eduardo El Hage confirma que o marketing da companhia tem sido forte na região.“Colocaram outdoors, fizeram campanhas na TV e têm até promovido corridas e campeonatos de surf”, afirma. A população, de acordo com ele, está muito carente com a crise do cacau na região e é induzida a ficar favorável ao empreendimento.

O Estado de São Paulo dá destaque ao Porto Sul

Luzes em Ilhéus

Existem luzes em Ilhéus, no meio das trevas
por Rui Rocha

14 de abril de 2010, 19 horas. A noite começa na cidade do cacau e das florestas. Desculpe o passado distante, mas no fim dos anos oitenta veio a vassoura de bruxa, uma doença que consumiu mais da metade da produção rural, e que gerou demissões em massa dos trabalhadores da lavoura do chocolate. A cinco anos atrás veio um prefeito doente, empresário de ônibus, que prometeu milhares de empregos para os jovens, e muitas festas na cidade. 
LEIA MAIS

Licenciamento para terminal portuário de Ilhéus foi discutido em audiência pública

16/abr/2010 . 21:36

Com um público de 1.193 pessoas, o Ibama realizou até a madrugada desta sexta-feira, 16, uma Audiência Pública com o objetivo de conceder a licença a construção do terminal portuário de Ponta da Tulha, empreendimento sob a responsabilidade da Bahia Mineração Ltda. O encontro, que teve início às 19 horas do dia 15 e transcorreu até às 4h30min da manhã (quando foi assinada a Ata), ocorreu no principal auditório do Centro de Convenções Luís Eduardo Magalhães, na avenida Soares Lopes, em Ilhéus. (Noticias de Ipiau)

LEIA MAIS

"Porto em ilhéus vai destruir um dos cenários mais importantes da Bahia"

O governo da Bahia, um grupo de chineses e políticos que só pensam em suas coisas vão destruir Ilhéus, cidade turística e cenário dos livros de Jorge Amado. E o dinheiro para essa destruição vai sair do governo Lula. A audiência pública sobre o licenciamento do Terminal da Bahia Mineração (Bamin), parte de um complexo de transporte que envolve ferrovia e atracadouros conhecido como Porto Sul, começou atrasada por causa das fortes chuvas que caíam sobre o sul da Bahia. O aguaceiro, no entanto, não afastou a audiência. Quando os trabalhos foram abertos, o auditório estava lotado. O encontro durou quase 12 horas e nele houve de tudo. Claque da empresa formada por gente que nem sabia por que estava lá, depoimentos emocionados de pescadores que serão afetados pelo projeto e discursos inflamados. Ao fim da reunião, marcada por várias manifestações do Greenpeace contra a instalação do Porto Sul numa região que o Ministério do Meio Ambiente define como prioritária para a conservação da biodiversidade, ficou clara a oposição local à obra. (do Blog do Imbroglione)
LEIA MAIS

Denúncia: Prefeito "agrada a BAMIN pra ajudar a “mamãe” deputada

Não achei nada estranho a nota pública do prefeito de Ilhéus (em exercício), Mário Alexandre, defendendo o projeto da Bahia Mineração (clique aqui). A BAMIN tem uma forte ligação com a mãe de Mário, a deputada estadual Ângela Sousa (PSC). Provavelmente, a Bahia Mineração dará uma “ajudinha” pra campanha. Mais uma vez, o grupo de Ângela segue a velha orientação. Deus abençoe (a minha família), neste caso, com as graças da BAMIN. 

Emílio Gusmão

Estado de São Paulo: MP questiona impactos de novo porto


O Ministério Público Federal (MPF) tenta suspender a audiência pública marcada para hoje, às 18
horas, com o objetivo de discutir a implantação do Terminal Portuário da Ponta da Tulha, em Ilhéus
(BA). O empreendimento é criticado por ambientalistas, que temem os impactos da obra. Em ação civil pública com pedido de liminar, os procuradores da República Eduardo El Hage e Flávia Arruti dizem que há “total inviabilidade do local escolhido pelo empreendedor”. Eles argumentam que o projeto visa a atender interesses particulares - da empresa Bahia Mineração - e que viola a lei da Mata Atlântica (que permite desmate somente em caso de interesse público).

O Relatório de Impacto Ambiental da obra lista 27 consequências negativas, sendo que uma deles é o
desmate de uma área equivalente à metade do Parque do Ibirapuera. Na ação civil, os procuradores
destacam que a obra afetará espécies em extinção, como o macaco-prego-do-peito-amarelo. Além
disso, o terminal de uso privativo está localizado dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) da
Lagoa Encantada e do Rio Almada. Para Rui Rocha, do Instituto Floresta Viva, “o licenciamento está absolutamente viciado”. Segundo ele, a empresa deveria estudar outro lugar para o porto.
O Estado de S.Paulo 15.04.2010

Prefeito de Ilhéus "mostra preocupação" com cancelamento de audiência

Do blog jornalístico R2C2 (patrocinado pela BAMIN):

Em Nota, prefeito em exercício de Ilhéus mostra preocupação
com possível cancelamento de audiência


"A cidade de Ilhéus recebe preocupada a notícia de que a Audiência Pública para discutir a implantação do Porto Sul, no litoral norte do nosso município, corre o risco de ser cancelada. Se há informações que ainda necessitam de uma explicação plausível a respeito do empreendimento – como argumentam os ilustres procuradores da República que ajuizaram uma ação civil pública para justificar este cancelamento, os ilheenses não podem ser punidos com o fim de um encontro que tem justamente como princípio básico, democratizar as discussões e permitir dar vez e voz aos que são contra e aos que são a favor. É esta Audiência que, certamente, contribuirá para que a sociedade e a justiça possam produzir uma conclusão justa e convincente atendendo firmemente o princípio democrático à liberdade de opiniões e ao exercício pleno da cidadania..."

Ilhéus, 14 de abril de 2010.
Mário Alexandre Corrêa de Sousa
Vice-prefeito no exercício de prefeito
LEIA MAIS

MPF/BA requer suspensão de audiência pública para construção de terminal portuário

Publicado em 14/4/2010 05:48:50 

O relatório de impacto ambiental apresentado pela empresa não obedece exigências para que os cidadãos sejam informados acerca dos impactos ambientais causados pela construção do empreendimento.

O Ministério Público Federal em Ilhéus (BA) ajuizou hoje, 13 de abril, ação civil pública com pedido de suspensão da audiência pública convocada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) com o objetivo de analisar o processo de licenciamento ambiental requerido pela Bahia Mineração Ltda (Bamin) para implantação do Terminal Portuário da Ponta da Tulha. O MPF solicita a suspensão desta audiência, marcada para o próximo dia 15 de abril, em Ilhéus.

Devastação - Para a construção do terminal no local escolhido pela Bahia Mineração, seria necessária a supressão da vegetação de Mata Atlântica, o que pode agravar ainda mais a redução de habitats de importantes espécies de aves ameaçadas e/ou exclusivas do sul da Bahia. Na região, foram encontradas 21 espécies de aves exclusivas da Mata Atlântica. Foram detectadas, ainda, 14 espécies de aves com risco de extinção local e regional, além de seis espécies mundialmente ameaçadas de extinção. Além das aves, o próprio estudo de impacto ambiental, produzido por empresa contratada pela Bamin, apontou a existência de outros animais ameaçados como o macaco-prego-do-peito-amarelo, o muriqui, o rato-da-árvore, a preguiça-de-coleira, o sagui-de-tufo-branco e a lontra, todos representantes da fauna brasileira.
LEIA MAIS   

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Mais um "blog jornalístico" a serviço da BAMIN

O blog Política Et Cetera publicou um post reclamando da suspensão da audiência pública sobre a instalação na Ponta da Tulha do complexo Porto Sul, a serviço da empresa de capital asiático BAMIN. (Leia post anterior sobre o assunto). O blog Política Et Cetera reclama que a decisão ocorreu "no tapetão", e que a suspensão impediu o "debate livre" sobre o assunto. Ainda denuncia um suposto complô que uniria a "indústria hoteleira" com organizações ambientalistas.

Agora veja na ilustração acima quem patrocina o "blog jornalístico" Política Et Cetera: a própria BAMIN, a Bahia Mineração.

Ilhéus: "Cáritas promove caminhada da luz"


A Cáritas Diocesana de Ilhéus convida a comunidade para a caminhada da luz no próximo dia 14 de Abril. A concentração será na Praça da Catedral, no centro de Ilhéus, a partir das 19h com destino a Avenida Soares Lopes. A Cáritas convoca toda a comunidade que leve velas que serão acessas para mostrar que “neste momento de escuridão surgem luzes”. O encontro tem o objetivo de promover uma reflexão sobre o projeto do Porto Sul e faz parte da programação da Campanha da Fraternidade deste ano cujo tema é “Fraternidade e Economia: Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro” (Mt 6,24). A caminhada acontece um dia antes da audiência pública sobre o complexo minerário da Bahia Mineração.
LEIA MAIS

MPF adia audiência da BAMIN: "não considera as questões ambientais"

MPF em Ilhéus (BA) requer suspensão de audiência pública para construção de terminal portuário